Características egípcio

Edgar Allan Poe - O Gato Preto e Outras Histórias

2020.09.04 05:42 SpeedHS11 Edgar Allan Poe - O Gato Preto e Outras Histórias

Edgar Allan Poe - O Gato Preto e Outras Histórias (editora PandorgA) 
https://preview.redd.it/216yppdxq1l51.jpg?width=566&format=pjpg&auto=webp&s=e5378e193d4acd6aab19abf302c57accc2e82527
Este livro contém 4 contos:
- o gato preto (1843)
- Ligeia (1838)
- a queda da Casa de Usher (1839)
- pequena conversa com a múmia (1839)

O Gato Preto (1843) 
''NÃO ESPERO NEM PEÇO que acreditem neste relato estranho, porém simples, que estou prester a escrever. Louco seria se eu o esperasse, em um caso onde meus próprios sentidos rejeitam o que eles mesmos testemunham.''
Faço das palavras de Poe as minhas, o conto começa com Poe falando de sua paixão por animais, e que sempre foi mimado pelos pais em relação à isso, o conto carrega toda uma história por trás, a começar pelo nome Plutão, que é o apelido de Hades (deus dos mortos), a cor preta, a superstição de que gatos pretos seriam bruxas disfarçadas e também a ideia de sete vidas dos gatos, todas essas características se encaixam perfeitamente no enredo do conto.
Com o passar do tempo, Poe foi mudando para uma pessoa pior, graças ao alcoolismo, se tornando mais melancólico, irritável, e indiferente às todos ao seu redor, menos ao gato, porém isso não durou muito tempo e o gato agora também passara a sofrer assim como todos os outros com as atitudes de Poe.
Quando Poe voltava para casa após mais uma noite de puro alcoolismo, percebeu que Plutão evitava-o, percebendo isso tratou de agarrar o gato, porém, o gato ficou assustado (com razão) e acabou dando uma pequena mordida em sua mão, isso despertou uma fúria (como o próprio Poe diz, demoníaca) e ele acaba por arrancar o olho do gato com um canivete que estava em seu bolso.
''de fazer o mal pelo único desejo de fazer o mal'' E foi assim que Poe fez o que ele julgava errado mas fez. Em uma manhã fria ele enforcou e matou o gato, no galho de uma árvore enquanto lágrimas escorriam de seus olhos, segundo as próprias palavras de Poe: ''enforquei-o porque sabia que assim fazendo estava cometendo um pecado - um pecado mortal, que comprometeria então minha alma importal e a colocaria - se tal coisa fosse possível - além do alcance da infinita misericórdia do Deus mais misericordioso e mais terrível.'' A noite do mesmo dia terminou com a casa de Poe em chamas, a cortina de seu quarto pegou fogo e por pouco conseguiram sair todos vivos e a casa acabou completamente destruída.
No dia seguinte ao incêndio, quando Poe visita as ruínas do que sobrou de sua casa, todas as paredes com exceção de uma tinham desabado e justo nessa única parede que não havia sido destruída completamente, estavam as palavras ''estranho!'', ''singular!'' e outras expressões similares, que despertaram a curiosidade de Poe, porém, o que mais o intrigava era o fato de que nessa mesma parede havia a figura de um gato de um gato gigantesco e havia uma corda ao redor do pescoço do anomal, Poe criou uma grande explicação para o ocorrido e se deu por satisfeito, embora dessa forma tenha prontamente satisfeito a razão, ele não poderia dizer o mesmo quanto à sua consciência.
Sem mais nem menos, surge um gato preto extremamente parecido com Plutão, no meio da noite em mais um dia de bebidas de Poe, os dois acabam gostando um do outro e assim, o gato segue para a casa de Poe e logo se familiariza com a casa e a esposa. Aos poucos por alguma razão Poe começou a sentir uma aversão ao gato, o fato do animal não ter um olho e a marca no peito do gato que antes era indefinida, mas agora essa marca branca passa a ser a imagem do enforcamento, contribuiram para essa aversão.
Certo dia enquanto ia para o seu porão, o gato mais uma vez o seguia e acompanhava-o, desta vez o gato acompanhava Poe enquanto descia as escadas e quando o fazendo cair, isso despertou uma fúria demoníaca em Poe, que na mesma hora pegou seu machado, quando estava pronto para matar o animal sua mulher interviu, desviando o golpe, sem pensar Poe enfiou o machado na cabeça de sua mulher, ela caiu morta sem sequer gemer.
Poe agora precisava se livrar do corpo, pensou e chegou na conclusão que deveria emparedá-la no porão, o que ele fez foi retirar os tijolos de um ponto da parede que havia uma saliência de uma falsa chaminé e fez no final das contas um ótimo trabalho.
O gato obviamente assustado com a situação fugiu e nunca mais voltou, isso despertou uma sensação de alívio em Poe, ele se sentia um homem livre, a sua consciência em relação sua mulher, pertubava- o pouco. No dia seguinte policiais foram até a casa fazer uma última busca e quando já estavam prestes a ir embora, Poe cita o quanto aquele porão fora bem construído e acaba por bater na parede com a bengala que segurava, na qual estava o cadáver de sua mulher do coração.
O eco da batida nem tinha acabado de soar quando uma voz de dentro respondeu com um uivo, como se tivesse vindo do inferno, com isso Poe quase desmaia até a parede do lado oposto, o cadáver ''com a boca vermelha escancarada e o olho solitário de fogo, estava sentada a criatura hedionda cujos ardis tinham me seduzido ao assassinato, e cuja voz delatora havia me condenado à forca. Eu tinha emparedado o monstro dentro da tumba!''
Ligeia (1838) 
O conto começa com Poe lembrando-se de Ligeia, fazendo grandes elogios e lembrando-se apenas que a encontrou pela primeira vez em alguma grande e decadente cidade às margens do Reno. Poe não se lembra do nome de sua família.
''Não existe beleza rara sem que haja algo de estranho em suas proporções''. Poe segue exaltando Ligeia: Alta, porte majestono, a quietude complacente de seu comportamento... A pele rivalizava com o mais puro marfim, a imponente fronte sobressaindo e a delicada proeminência acima de suas têmporas, as brilhantes e negras madeixas, negras como as asas de um corvo, luxuriantes cachos naturais, suas linhas delicadas do nariz, as covinhas, os olhos bem maiores do que o comum, a magnífica curvatura do lábio superior e o aspecto suave e voluptuoso do inferior. Ele se lembra de seus olhos, incríveis e incomuns, largos e luminosos, e sentiu fortes sentimentos ao lembrar de seus olhos, que só sentiu os mesmos sentimentos raramente quando: viu o crescimento de uma videira, numa mariposa, uma borboleta, um fluxo de água corrente...
Poe lembra dos primeiros anos de casamento, em que ele confiava em Ligeia em nível de confiança semelhante à de uma criança, a ser guiada por ela, em um caótico de investigação metafísica em que se achava ocupado durante os primeiros anos de casamento. Enquanto Poe acompanhava de perto a morte de Ligeia na cama, ela demonstra todo a sua paixão e pede a Poe que leia alguns de seus versos, logo após Poe terminar a leitura, Ligeia ergueu-se e teve espasmos, e então, abaixou os braços retornando ao leito de morte e morreu.
Meses depois do ocorrido, Poe, compra uma abadia em um lugar remoto da Inglaterra se casa com Lady Rowena, no primeiro mês de casamento ela temia o violento mau-humor de Poe seu temperadomento, que tanto evitava e amava. No segundo mês de casamento Lady Rowena fica doente e demora para se recuperar até que um segundo e mais violento acesso a acometeu, colocando-a de volta à cama em sofrimento, ela começa a ficar doente de forma mais grave e reccorente, Poe então decide dar uma taça de vinho para recuperá-la, foi aí então que ele ouviu passos leves sobre o carpete próximo a cama, e então quando Rowena estava prestes a bebero cálice, ele viu caindo dentro da taça, três ou quatro grande gotas de um brilhante líquido, porém ele achou que fosse tudo imaginação e não mencionou o fato à ela, algum tempo depois ela morre e seu corpo é preparado para o túmulo.
Com o tempo, Poe percebe que suas bochechas voltam a ficarem vermelhas, durante alguns dias ele escuta alguns sons do cadáver e havia até mesmo uma leve pulsação de seu coração, ela estava viva, porém, sempre indo e voltando da morte, com grandes sinais à prova, mas Poe não se importava e estava cansado das violentas emoções.
De repente, ela ergue-se da cama, cambaleando de olhos fechados avanã para o meio do quarto, Poe se aproxima e toca, fazendo assim cair os tecidos sinistros que a enrolavam, revelando assim seus cabelos negros, mais negros que as asas de um corvo da meia-noite e os grandes olhos, grandes, negros e selvagens de seu perdido amor, Lady Ligeia.
A queda da Casa de Usher (1839) 
Poe percorri de cavalo um caminho escuro, chegando à casa de Usher (sua caraterística principal era parecer excessivamente antiga) ele sente uma sensação de insuportável melancolia invadir seu espírito, ele chega até a sala grande e imponente em que Usher (um dos únicos amigos de infãncia e adolescência de Poe) estava, Usher então se levanta do sofá e o comprimenta calorosamente. Com sua voz que variava rapidamente de um indecisão trêmula até uma forma pesada e lenta de falar, ele contou sobre o objetivo da visita e do consolo que ele esperava sentir com a presença de Poe e abordou a causa de sua doença, disse que era um mal constitucional e familiar para o qual ele já não tinha esoerança de encontrar uma cura.
Ele sofria de um aguçamento mórbido dos sentidos: só suportava as comidas mais insípidas, só podia uisar vestes de certa textura, o cheiro de todas as flores o oprimia, uma mera luz fraca torturava seus olhos e somente alguns sons não lhe inspiravam horror. Poe percebe pouco a pouco por meio de alusões entrecortadas e ambíguas, ele estava dominado por certas impressões supersticiosas com relação ao imóvel onde vivia e de onde, por muitos anos, nunca havia se aventurado a sair, superstições acerca de uma influência cuja força hipotética foi descrita em termos muito obscuros para ser relatada aqui e a aproximação evidente e iminente da morte de sua querida e amada irmã, lady Madeline.
Lady Madeline tinha uma apatia, uma devastação física lenta e gradual, e frequentes afecções de um caráter parcialmente cataléptico. Até então, lutara com firmeza contra a doença e não se entregara à cama, mas, ao final da noite, ela sucumbiu e Poe nunca mais a veria a mesma dama pelo menos enquanto vivesse.
Usher declarou que tinha a intenção de preservar o corpo da irmã por quinze dias (antes de finalmente sepultá-la), em uma das várias câmara que existiam dentro dos muro principais da casa, a razão era o caráter incomum da morte da falecida e as inevitáveis perguntas inoportunas e impulsivas por parte dos médicos, Poe ajuda pessoalmente nos preparativos do sepultamento temporário, levam ao à uma câmara que estivera fechada por muito tempo e lá é revelado que Usher e sua irmã eram gêmeos.
Uma noite tempestuosa, ma terrivelmente bela invadiu o quarto quase erguendo-os do chão, um vapor agitado subia pela casa e a encobria como uma mortalha, Poe logo retirou Usher de perto da janelo e colocou-o na poltrona, lendo um de seus romances favoritos: ''O Louco Triste'' de Sir Launcelot Canning.
Ao terminar a leitura, em que um escuto havia caído sobre um piso de prata, Poe, como escuta como se relamente um escudo de bronze tivesse caído com todo seu peso sobre um pavimento de prata. Quando Usher é questionado por Poe sobre o barulho, Usher: ''Sim, eu ouço e tenho ouvido. Por muito... muito... muito tempo... por muitos minutos, muitas horas, muitdos dias ouvi... Nós a colocamos viva no túmulo! INSENSATO! ESTOU LHE DIZENDO QUE ELA AGORA ESTÁ DO OUTRO LADO DA PORTA!''
Como em um passe de mágica, a porta para que Usher apotava abriu lentamente, e lá estava a figura alta e amortalhada de lady Madeline Usher. Então, com um lamento baixo, desabou pesadamente sobre o corpo do irmão, e em sua agonia final, arrastou-o para o chão, morto, vítima dos terrores que havia previsto.
Poe então foge horrorizado daquele quarto e daquela mansão, de repente, uma luz forte surgiu no caminho, era a luz da lua cheia, um vermelho escalarte que brilhava através daquela rachadura na mansão e que se estendia até do telhado até o chão. Dali veio um sopro forte do redemoinho, as grandes paredes desabavam enquanto se ouvia uma demorada e tumultuada gritaria, como se o ruído viesse de mil aguaceiros, e o lago profundo e gélico aos seus pés se fecharam, de forma sombria e silenciosa, sobre os destroços da ''Casa de Usher''.
Pequena Conversa Com a Múmia (1839) 
O simpósio (festa após um banquete) da noite anterior tinha sido demais para Poe, com uma dor de cabeça miserável e caindo de sono preferiu fazer uma última refeição antes de dormir (Welsh rabbit). Porém, ainda não completara o terceiro ronco quando a camapinha começa a tocar furiosiamente, era um bilhete do doutor Pononner, que dizia que obteve o consentimento dos direitos do museu da cidade para examinar uma Múmia, em um salto se levantou da cama rumo à casa do doutor.
Chegando na casa do doutor ele encontrara um grupo ansioso e a Múmia, encontrada às margens do Nilo, estendida sobre a mesa de jantar, acâmara onde fora encontrada a Múmia era rica em ilustrações, isso indicava uma vasta riqueza do morto. Encontraram o corpo em ótimo estado de preservação, sem nenhum odor perceptível, cor avermelhada, olhos removidos e substituídos por olhos de vidro, cabelos e dentes em boas condições. Quando perceberam que já passava de duas horas da manhã, decidiram adiar a dissecação até a noite seguinte, porém, alguém surgiu com a ideia de fazer um experimento com a pilha de Volta (aplicar eletricidade).
Prestes a ir embora, Poe se depara com as pálpebras da Múmia coberta pelas pálpebras, depois do choque inicial decidiram prosseguir com um novo experimento, e, durante o mesmo, a Múmia desfere um pontapé no doutor Ponnonner que foi lançado à rua janela abaixo. Depois de iniciarem o teste elétrico a Múmia espirrou, sentou e se dirigiu aos senhores Gliddon e Buckingham com um egípcio perfeito um discurso, neste discurso ele reclamou de ser despido num dia frio e da forma como fora tratado.
Gliddon fez um discurso em que citava principalment os enormes benefícios que a ciência podera obter com o desenrolamento e a evisceração das múmias e aproveitou o momento para se desculpar por qualquer incômodo que pudéssemos ter causado à múmia Allamistakeo, reparando que ela estava se tremendo de frio, o doutor correu e logo voltou com uma casaca preta, um par de calças xadrez azul-celeste, uma camisa xadrezinha cor de rosa, um colete de brocado com abas, um sobretudo branco, uma bengala de passeio, um chapéu sem aba, um par de botas de verniz, um par de luvas de pelica cor de palha, um monóculo, um par de suíças e uma gravata cascata.
Seguiu-se uma série de perguntas e de cálculos pelos quais se tornou evidente que a antiguidade da múmia tinha sido muito mal avaliada, haviam passado cinco mil e cinquenta anos e alguns meses desde que ela tinha sido despachada. Logo depois a múmia explica o princípio fundamental do embalsamento e que gozava de ter o privilégio de ter nas veias sangue do Escaravelho, pois só assim teria o direito em sua época de ser embalsamado vivo. O Escaravelho era o brasão, as ''armas'' de uma família muito nobre e muito distinta, pois era comum se retirar o cérebro e as vísceras do cadáver antes de embalsamá'lo, só o clá dos Escaravelhos não seguia essa regra.
''Veja nossa arquitetura!'' gritava Ponnonner. ''A Fonte Bowling-Green!Ou, se esse espetáculo e imponente demais, contemple por um instante o Capitólio, em Washington, D. C.! E o bom doutorzinho chegou até a detalhar de forma minuciosa as proporções do edifício a que se referia. Explicou que o pórtico era adornado com não menos que vinte e quatro colunas, cada uma com um metro e meio de diâmetro e colocadas a três metros de distância umas das outras.
O conde respondeu que lamentava não se lembrar das dimensões precisas de nenhum dos edifícios principais da cidade de Aznac, cuja fundação se perdia na noite dos séculos, mas cujas ruínas permaneciam ainda de pé, se lembrou de ter visto um palácio secundário que tinha cento e quarenta e quatro colunas, com onze metros de circunferência e sete metros de distância entre cada uma delas, o acessoa esse pórtiro, vindo do Nilo, era feito através de uma avenida de três quilômetros, composta por esfinges, estátuas e obeliscos de seis, dezoito e trinta metros de altura. O palácio em si tinha, só em uma das direções três quilômetros de comprimento e deveria ter, ao todo, uns onze de circuito. As paredes eram ricamente decoradas, por dentro e por fora, com pinturas hieroglíficas. Ele não pretendia afirmar que até cinquenta ou sessenta dos Capitólios do doutor poderiam ter sido construídos dentro dessas paredes, mas que tinmha absoluta certeza de que duas ou três centenas deles se espremeriam ali com alguma dificuldade.
Nisso se seguiu a noite com os cavalheiros fazendo perguntas complexas ao egípcio, que respondia todas surpreendentemente bem, os cavalheiros não sabiam mais que perguntas fazerem, pois, a cada pergunta que faziam, o egípcio respondia todas e simplesmente os calava com sua superioridade egípcia em basicamente todas as áreas mencionadas pelos cavalheiros ali presente.
Porém, quando estavam prestes a serem derrotados intelectualmente, Ponnonner perguntou se as pessoas no Egito realmente pretendiam rivalizar com as pessoas modernas, na importantíssima questão do vestuário. O conde então olhou para os suspensórios de suas calças e, segurando a ponta de seu fraque, segurou-os perto dos olhos por alguns minutos. Deixando-os cair finalmente, sua boca escancarou-se gradualmente de uma orelha à outra, mas não me lembro se respondeu alguma coisa.
O egípcio baixou a cabeça. Nunca houve um triunfo tão completo, nunca antes a derrota foi assumida com tanto despeito, Poe pega seu chapéu e parte para casa. Chegou em casa depois das quatro horas da manhã e foi-se deitar, agora eram dez horas da manhã com Poe escrevendo estas lembranças, ansioso para saber quem será o Presidente em 2045, iria procurar o doutor Ponnonner e pedir para que seja embalsamado por alguns séculos.
submitted by SpeedHS11 to Livros [link] [comments]


2020.07.27 21:56 Vl4dimirPudim Vc cazum não leu tudo, leia cazum isso é muito importante para o futuro do nosso mundo

Para todos quem lerem está mensagem, Aqui é o capitão Vladimir Pudim, e eu descobri algo que vai mudar o rumo do nosso mundo, a história do nosso universo e do mundo como conhecemos está em perigo!!!
Uma antiga lenda diz que Rasputin quando morava em Rússia 2, quando tava bêbado tinha conjurado um ser super poderoso espacial para vir aqui na terra e destruir tudo, pra imprecionar mulheres, nada Aconteceu.
Tudo começou na 2°guerra Gnomistica, eu era o líder da nação russa secundária, e estávamos cercando tarkov, avançamos até o Palácio presidencial de tarkov, e lá estava eu, sozinho no Palácio quando me deparo com uma porta claramente secreta, obviamente abria-a, quando abri a porta lá havia uma escadaria escura que levava a um porão. Nele tinha várias coisa, um mapa da Pudinisland, Vairias COIAS escritas em egípcio, vários livros. Fiquei dias naquele porão, estudando, meus estudos revelaram muitas coisas, ele se chamava Jorge, tinha uma força mística, um tamanho Planetario e chegava essa ano a terra, no final as pistas me levaram até Rasputown.
Lá em Rasputown conheci um grupo chamando Vistrirharzirkizek, eles conheciam bem o Rasputin, minha conversa com eles foi produtiva, Vairias informações precisas, também aproveitei para encontrar com Renatinho que andava muito preocupado com essa coisa, aliás ele nunca morreu, ele forjou a própria morte para sair da vida de celebridade justamente por isso, ele disse que com essa guerra não dava para trabalhar, mais ele não queria se expor, ele me deu a ideia de forjar minha própria morte também. Assim nasceu a operação barba ruiva.
A operação barba ruiva foi forjada, após ela Renatinho destruiu o exercício Gnomistico em segundos, e nos fomos para a Sibéria russa da russia normal, lá era um foco de anomalias, OS cientistas russo que estudaram as profecias, disseram que desde que o Rasputin fez isso, o tecido do espaço tempo se rompeu e se fundiu, causando anomalias como bugs e interferências, e talvez vários cazums.
Depois de muitas discussões Renatinho descido se sacrificar, sobemoz que o Jorge estava perto de biluland ( o planeta do Renatinho ), logo Renatinho se materializou em seu planeta e usou toda sua força para deter o Jorge, porém isso foi ineficaz e deixou o Jorge irritado, O Jorge materializa um raio partindo biluland ao meio e extinguindo o Renatinho para sempre. Eu estava lá, na base móvel na Sibéria, eu vi tudo. F
Logo após uma grande interferência enforma de vírus virtual atacou o sistema VladIOS, nos tentamos fazer um firewall mais nossas condições eram péssimas, nos fugimos mais alguns homens não conseguiram se salvar e foram pegos pela anomalia gravitacional é foram partidos para veio, alguns tiveram a mente controlada por eles e se juntaram a massa pensante.
mas eu consegui fugir e estou a salvo num local secreto do mundo junto com o quê estou da equipe, é praticamente impossível conseguirmos derrotado mais temos uma chance. Com nossas forças combinadas podemos derrotalo, talvez? É um tiro no escuro.
CAZUM
Primeiro precisamos derrotar o organismo viral virtual. Você tem que bugar o AI Dungeon em live emquanto o chat floda muitos códigos binários e códigos em letra.
Depois sair do tarkov vivo uma vez para para chamar os jogadores de tarkov para a batalha
Vc tem que jogar algum jogo de furry pra chamar esse público poderoso para o fronte
Todos os Cazums existentes se manifestam em suas redes sociais com suas características específicas para romper ainda mais o tecido do espaço tempo, assim os próprios bugs vão se virar contra ele
Faça uma vídeo imitando o mestre Ednaldo Pereira para chamar a ajuda dele na batalha.
Jogue KOGAMA pra podermos ter o apoio dos kogamadores
Mandem o máximo de invocar GNOMO possível os gnomos não são nossos inimigos são nossos aliados agora.
Por fim um hunger games com os personagens do canal, e o Jorge é seus aliados quem ganhar guanha a guerra
submitted by Vl4dimirPudim to PuddingsUtopia [link] [comments]


2019.05.08 22:37 Amanda3exceler A HISTÓRIA DOS PISOS DE MADEIRA

Existe uma série de pisos de madeira diferentes. Comumente, eles provêm da madeira natural, em toda sua composição, ainda que de diversas espécies diferentes. No entanto, os pisos mais comuns são: pisos de cumaru, peroba, ipê, amêndoa, tauari e carvalho. Há diferenças sobre a resistência e dureza dessas espécies, que podem ser averiguadas em lojas especializadas. Comumente, os estabelecimentos possuem uma nota com a resistência e durabilidade de cada madeira.

Pisos de madeira: Conheça suas diferenças

Os tacos e assoalhos são alguns dos nomes de diferentes pisos de madeira. Entretanto, a diferença entre eles tem a ver com a espessura e largura das tábuas de madeira que compõem o piso.
De acordo com uma pesquisa, suas espessuras variam, comumente, entre um e dois centímetros, dependendo do tipo de acabamento. Além disso, é possível ainda realizar diversos desenhos com diferentes formatos de piso.
No entanto, no início do século XX, os desenhos nos pisos de madeira, era um trabalho muito apreciado em construções brasileiras. Afinal, muitos exemplos dessa tendência em piso resistiram até os dias de hoje, como:

Carpetes e tapetes

Os tapetes começaram a ser fabricados através dos nômades, com a lã de cabras e carneiros. Dessa forma, eles confeccionavam o material como abrigo, por causa do clima severo de algumas regiões. No entanto, em uma de suas viagens, o navegador Marco Polo conheceu o produto e trouxe para o Ocidente. Daí em diante, os tapetes e carpetes ganharam cada vez mais popularidade pelo mundo.
Atualmente, os carpetes e tapetes são peças fundamentais na decoração. Além disso, eles desempenham funções importantíssimas, como a diminuição do impacto e absorção de sons nos ambientes.

Cortiça

A cortiça é um material que deriva do sobreiro. A sua utilização já acontece há milhares de anos e sendo um produto natural tem variadíssimas aplicações no mundo moderno.
A cortiça também é um material antigo. A sua utilização já acontece há milhares de anos, sabe-se que os egípcios, gregos e romanos já a utilizavam para inúmeras funções. No entanto, em 1680, começou a ser utilizada para a fabricação de rolhas.
Este material é extremamente versátil, produzida a partir da casca do sobreiro, passando por diversas etapas até a sua aplicação final. As principais características da cortiça: isolamento térmico e acústico, elasticidade, alta absorção de choques e resistência ao fogo. Afinal, ela é muito procurada para revestimentos de piso, tanto para ambientes residenciais quanto industriais.

Vantagens do piso de madeira

A madeira é um material nobre, que pode conferir aos ambientes sofisticação e rusticidade, afinal a madeira é sinônimo de conforto.
Atualmente, os revestimentos de piso de madeira são populares no mundo inteiro, com uma variedade considerável de cores e padrões que combinam com muitos estilos diferentes.

Entre em contato e saiba mais: https://www.kaporpisos.com.b
submitted by Amanda3exceler to u/Amanda3exceler [link] [comments]


2018.02.24 05:31 AntonioMachado [2002] Gianfranco Biondi e Olga Rickards - The Scientific Fallacy of the Human Biological Concept of Race

Texto aqui. Pontos a reter:
Questões:
submitted by AntonioMachado to investigate_this [link] [comments]


2017.01.29 14:50 JJS124 Portugueses e Atlântida

Será que sou único aqui que acredita que a Atlântida foi um local, numa certa medida, "verdadeiro"? Deduzo que o Platão se referia aos Açores numa certa medida. Embora o mito de 2013 sobre a pirâmide subaquática nos Açores tenha sido desmentido, existem em várias ilhas pirâmides chamadas de maroiços, que estão a ser estudadas por arqueólogos, que afirmam que a sua existência data milhares de anos antes à chegada portuguesa. Para além disso, na cartografia renascentista portuguesa e espanhola é proposta uma referência a uma ilha chamada de Antillia.
Segundo Platão, os Atlantes tinham existido 9000 anos antes da sua altura e tinham atacado várias civilizações do mediterrâneo (egípcios, gregos, minoicos, etc...) Na verdade, há registos gregos e egípcios que afirmam que 900 anos antes da altura de Platão, um povo misterioso e evoluído simplesmente referido como "O povo dos mares" (Sea Peoples) tinha quase destruído as culturas já mencionadas. Será que houve um erro de tradução entre 9000 e 900 por parte de Platão? As descrições históricas e míticas batem certo, na minha opinião.
Também posso mencionar que recentemente encontraram um gládio supostamente romano e uma cabeça de uma escultura com características nitidamente greco-romanas numa piramide maia. Como é que esses artefactos pararam nas Américas? A minha teoria é que Atlântida colonizou parte da América e posteriormente influenciou as suas culturas, assim como tentou invadir a costa mediterrânea, criando um império "maior que a Líbia e a Ásia Menor juntas", segundo o filósofo. Tenho mais informação mas sou preguiçoso para escrever xD. O que acham?
Edit: Posso acrescentar que várias civilizações americanas acreditavam que existiam "deuses" antigos com a aparência humana, pele e olhos claros e tecnologia avançada. Essa crença influenciou o tratamento dado às primeiras tripulações europeias que chegaram ao continente, sendo estas confundidas por divindades (isso durou pouco tempo).
Também existe uma lenda de uma estátua açoriana que representava um homem a cavalo com a mão a apontar para oeste (possivelmente a América? ) Muitos dizem que a sua origem pode ser grega ou fenincia (ou outra), mas está aberto para especulação. Aparentemente existe um documento de um dos reis portugueses a pedir que a tripulação açoriana trouxesse a estátua.
submitted by JJS124 to portugal [link] [comments]